Funções Administrativas

Como você lida com as funções administrativas básicas da empresa? Com o foco em se posicionar no mercado, as organizações passaram a utilizar ferramentas para melhorar a produtividade em seu dia a dia.
 
Seja para otimizar o planejamento ou antecipar problemas, o método de trabalho pode servir de apoio para que as tarefas sejam mais organizadas, mas apenas isso não é o suficiente.
 
Para se manter firme no mercado competitivo, a empresa deve estar preparada para mudanças, principalmente inovações. Como auxílio, você pode contar com diferentes ferramentas que ajudam a tomar decisões mais estratégicas.
 
Quais são as funções administrativas básicas?
Existem quatro ações essenciais para o funcionamento de uma empresa:
• planejar: é onde são definidos tanto as atividades a serem feitas quanto os resultados esperados;
• organizar: nessa fase, são separados os recursos disponíveis para a atividade que foi planejada. Além disso, é feita a distribuição das tarefas e recursos entre os membros da equipe;
• dirigir: tem como função direcionar o processo para que atinja o esperado da fase de preparação;
• controlar: seu objetivo é verificar os resultados dos processos e comparar com o que foi programado no início. A etapa é importante para validar se o projeto está caminhando para atingir os objetivos traçados.
 
As funções administrativas têm uma grande importância para a empresa, afinal é por meio delas que o gestor conta com uma visão mais ampla de todos os processos. Assim, caso ocorra algum problema, a equipe terá maior facilidade para montar estratégias mais eficientes.
 
Como melhorar o dia a dia da empresa?
Não deixe de inovar
Por conta do avanço tecnológico, naturalmente as pessoas tendem a exigir mais inovação das companhias. Dito isto, o gestor deve ficar atento as tendências e tecnologias que aparecem no mercado, mas qual a melhor forma de acompanhar as novidades? Seguem algumas:
• converse com os colaboradores: eles podem ter ideias interessantes para a empresa;
• analise os concorrentes: para se manter firme nos negócios, a empresa deve saber como as outras companhias têm agido;
• fontes internacionais: sabemos o quanto as organizações internacionais são referências no mercado mundial. Por esse motivo, elas podem servir como uma grande inspiração tecnológica para o seu empreendimento.
 
Esteja pronto para mudanças
Complementando o item anterior, as mudanças se tornam obrigatórias para garantir a sobrevivência das corporações. Seja pela necessidade de inovação ou pela crise, as empresas que não se adaptam à nova realidade perdem rapidamente espaço no mercado. Caso contrário, ao acompanhar as novidades, a empresa passa a correr menos risco de investimentos e a encontrar oportunidades para atrair mais clientes.
 
Utilize novas ferramentas
Quando pensamos na rotina de trabalho, logo vem à mente a grande quantidade de tarefas que temos pela frente. A falta de organização é a principal causa para aumentar o fenômeno chamado “apagar incêndio”, ou seja, resolver problemas críticos o mais rápido possível.
 
Uma solução adotada pelas empresas é utilizar ferramentas que aumentem a produtividade da equipe. Entre elas, podemos citar:
• Scrum;
• Kanban;
• Lean.
 
As ferramentas focadas em produtividade permitem que todas as etapas sejam mapeadas. Dessa forma, até mesmo os fatores críticos se tornam mais controlados, tornando os processos organizacionais mais efetivos.
 
Como vimos, as empresas passam por diversos processos ― das funções administrativas básicas a procedimentos mais complexos ― durante o desenvolvimento da sua solução. Entre a fase de planejamento até o momento de corrigir as falhas, as companhias podem utilizar as dicas acima para aperfeiçoar as suas atividades, melhorar a estratégia e entregar um melhor resultado para o cliente.
 
Ainda assim, há alguns casos em que uma organização deve contar com uma ajuda profissional para melhorar a rotina de trabalho, como no desenvolvimento de sites. De fato, a melhor solução é delegar a tarefa para uma equipe especializada, enquanto você foca no desenvolvimento do negócio.
 
Autor: Marcelo dos Santos Zaché

Mais publicações